domingo, 9 de fevereiro de 2014

Caos



Por mais que procuremos sossego, quem nasceu do caos, não sobrevive sem ele. 
Há uma necessidade inexplicável, uma coisa que vem de dentro. 
O barulho é ruim, mas o silêncio incomoda. Quando não há som do lado de fora, a mente faz barulho, que muitas vezes é o mais ensurdecedor de todos.
Gosto de uma certa calmaria mental. Tudo muito calmo me incomoda. Só que a vida as vezes parece que perde os eixos e resolve sacudir demais. Ah, como é difícil quando isso acontece! 
Sono cade tu meu querido que tanto foge de mim, ainda mais quando preciso me desligar? 
De repente acontece "tudo ao mesmo tempo agora". Chego a quase perder o equilíbrio, mas ai aparecem mãos que não são minhas e me seguram. E então percebemos que há muita coisa subscrita ao nosso redor. As letrinhas miúdas no rodapé. Muito mais do que meus olhinhos rasgados estavam enxergando. Mas que quando enxergam, tomam noção da proporção gigantesca de algo que ainda está escondido. Mas que vai sair do poço das emoções, logo menos.
Vamos seguindo, sacudindo, desequilibrando, amparando e sendo amparados, recomeçando e fazendo tudo contra o caos, correndo pro meio dele!