quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Nunca mais


Nunca mais vou beber! 
Não, não estou de ressaca e nem parei de beber mesmo, mas tenho que admitir que já pensei várias vezes nisso. E então basta um dia de calor e uma breja gelada pula sozinha pra minha mão.
Pois assim tem sido com muitas outras coisas na vida. Nem nos damos conta de quanta coisa prometemos parar, ou dizemos que nunca mais e não da meia hora, já estamos fazendo de novo.
Como diria um amigo, as vezes engolimos nossas palavras. Algumas vezes elas descem bem amargas, mas em algumas situações da pra saborear lentamente. 
A vida fica nos pregando peças. Faz a gente passar do amor ao ódio e vice-versa, muito rápido. Ai faz uma confusão danada! Então pensamos: "nunca mais vou amar/ odiar". E quando percebemos, lá estamos nós com a cerveja na mão.